O pop brasileiro tem se reinventado muito desde 2010 e ganhado cada vez mais reconhecimento, inclusive fora do país. Muito disso vem por conta das redes sociais e o enorme alcance que a internet pode render. Em um ano como esse, a ferramenta foi a principal alternativa de entretenimento global, seja pelo smartphone ou pelo próprio computador, e por conta disso, os artistas do gênero tiveram que encontrar formas de “falar a mesma língua” desse público que cumpria isolamento social em casa: indo para as redes sociais, utilizando os aplicativos do momento e investindo fortemente na presença digital — já que a presencial está fora de cogitação por tempo indeterminado.

Um dos exemplos de artistas que se jogaram de cabeça na febre de uma das redes sociais da quarentena é o OUTROEU, que além de se aventurarem no TikTok, aproveitaram o ano de 2020 para mergulhar numa nova proposta musical e identidade visual. O duo formato por Mike Tulio e Guto Oliveira é um dos principais nomes da vertente “Good Vibes” do pop brasileiro, uma cena de cantores e bandas que tem como principal característica transmitir calmaria, alegria e romance através de versos repletos de positividade mesclados numa melodia leve de acordes suaves.

Mike Tulio e Guto Oliveira formam o duo OUTROEU (Imagem: Divulgação)

A cena “good vibes” ganhou mais força em 2019, estabelecendo-se como um gênero da música brasileira que entra num embate direto com a sofrência do sertanejo universitário que faz tanto sucesso no país. Mesmo mantendo um público fiel de diversas faixas etárias, esses artistas enfrentaram um sério imprevisto logo no início de 2020: como continuar transmitindo a positividade e a alegria num ano de pandemia mundial?

Além desse questionamento, seja com gravadora ou de forma independente, esses artistas ainda lidaram com as complicações causados pela COVID-19 na pós-produção dos lançamentos previstos para esse ano. Num ano em que o trabalho remoto não era uma escolha, etapas como masterização, mixagem e afins ainda foram possíveis de serem realizadas, porém, complexas.

O já mencionado OUTROEU tinha planejamento para disponibilizar o disco O Outro É Você entre o início e o meio do ano, mas por conta do período pandêmico, o lançamento acabou acontecendo em dezembro. Mesmo assim, o segundo álbum de estúdio do duo não passou despercebido e não é exagero afirmar que é um dos melhores trabalhos do gênero neste ano.

LEIA MAIS: Como OUTROEU trouxe cor para 2020 com O Outro É Você

Além deles, outros nomes “good vibes” que presenteraram os fãs com lançamentos foram os irmãos Melim, com o álbum Eu Feat Você, trazendo faixas que merecem destaque como a que dá nome ao trabalho, o single Gelo, Cantando eu Vou com o cantor Saulo, Relax que traz a participação especial de Rael e Cabelo de Anjo que oferece uma verdadeira mistura de gerações do pop brasileiro com a presença de Lulu Santos na música.

Vitor Kley (Imagem: Divulgação)

O gaúcho Vitor Kley, um dos mais fortes nomes representantes do movimento, também mergulhou na Era A Bolha logo no início do período de isolamento social, transformando todas as redes sociais na cor roxa para formar a identidade visual do quarto álbum, que viria a ser seu melhor trabalho até então. Nele, o cantor traz participações especiais com Jão, outro nome da cena; e Vitão, que embora não faça parte necessariamente da vertente “good vibes”, trouxe um clima jovial para o hit Jacarandá, uma das melhores faixas do disco.

LEIA MAIS: Vitor Kley abandona a temática praiana em seu melhor trabalho da carreira, A Bolha

Vale destacar também o álbum de estreia de Ana Gabriela, facilmente considerado um dos melhores do ano não só no pop brasileiro, mas também em todo o cenário musical nacional. Com um ar íntimo e estética minimalista, a cantora traz nada menos que seu primeiro nome para batizar seu primeiro trabalho de estúdio, composto de treze faixas e duas participações especiais (com o trio Melim e o cantor Fran).

E por fim, os paulistas Hotelo também deram seu toque cômico e descontraído ao período de quarentena. Aderindo à campanha #FicaEmCasa, a banda lançou logo em março uma série de três músicas sobre a quarentena, Há 10 dias em casa, mas vai passar, a homenagem para os profissionais de saúde Obrigado por cuidar de nós e Fica em casa, que foi disponibilizada nas plataformas digitais. Deco, Conrado, Julio e Tito, que dividem a mesma casa há mais de dois anos, deram continuidade ao ano de lançamentos com o EP Início, que conta com participação de Di Ferrero em uma das faixas.

Hotelo (Imagem: Divulgação)

Início é o primeiro trabalho da Hotelo pela Sony Music. A banda assinou com a gravadora no início de novembro já com o projeto Início, Meio e Fim nos planos, cujos dois últimos capítulos devem ser lançados em algum momento do primeiro semestre de 2021. O grupo já adianta que os fãs poderão conferir a participação especial de Vitor Kley em uma das músicas do segundo EP, Maior Que Nós.

O dia em que o “good vibes” entristeceu

Diretamente de Belo Horizonte, a banda Lagum conquistou uma legião de fãs desde o sucesso instantâneo de Deixa, em 2017, canção que caiu nas graças até de Neymar Jr. A partir dali, o grupo mineiro se viu diante de diversos lançamentos ovacionados pelo público, principalmente com o álbum Coisa da Geração, cuja turnê contou com diversos shows esgotados pelo Brasil.

Tio Wilson, baterista do Lagum (Imagem: Reprodução / Instagram)

Infelizmente, foi durante o período de quarentena e no meio do processo de criação do terceiro álbum de estúdio que a banda se viu diante de um pesadelo sem a menor justificativa: logo após um show drive-in em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o baterista Breno Braga, carinhosamente apelidado pelos companheiros e pelos fãs de Tio Wilson, sentiu-se indisposto e sofreu uma parada cardiorrespiratória, segundo o comunicado da banda, divulgado naquela noite. O evento ocorreu no dia 12 de setembro, quando a situação pandêmica no Brasil estava um pouco mais controlada, comparado ao período de março e abril.

Em dezembro, a Polícia Civil divulgou que o músico, que tinha apenas 34 anos, faleceu de “causa natural por miocardiopatia dilatada”, segundo laudo divulgado. Em outubro, a banda realizou a homenagem póstuma com o videoclipe de Ninguém me Ensinou, segundo eles, a música favorita de Tio Wilson do novo álbum do Lagum.

“Se tem algo que o Tio nos ensinou é a importância de agradecer e reconhecer quem fortalece o nosso sonho. Então essa música é dedicada a todos os fãs, amigos e familiares do Tio, que de alguma forma contribuíram pra isso tudo se realizar”, diz nota divulgada pelo grupo mineiro.

O Lagum também foi vencedor da categoria Grupo do Ano no Prêmio Multishow 2020, que aconteceu em novembro. Ainda não há informações sobre o próximo álbum de estúdio da banda.

LEIA MAIS: