Com certeza 2020 foi um bastante singular, especialmente para música e quem trabalha com envolvimento de aglomerações. Por consequência das complicações causadas pela pandemia de COVID-19, casas de show e festivais de música tiveram que fechar as portas por tempo indeterminado. Com isso, diversos artistas perderam suas principais fontes de renda por meses. Por outro lado, quem tinha lançamentos planejados para este ano se viu num enorme impasse: disponibilizar álbuns, clipes e singles novos, com risco do sucesso esfriar caso o período de isolamento social alongasse, ou segurar as novas músicas, com a chance de perder um timing irrecuperável. Sem dúvidas, no mundo do pop punk (e tudo o que o público pode considerar como “música emo”), não foi diferente.

Por mais que estejamos numa época em que o gênero já deixou de ser mainstream faz tempo, bandas que normalmente tinham sua chance de brilhar em festivais presenciais tiveram que optar pela aglomeração digital. Mesmo assim, a importância da música manteve-se vital durante doze longos meses. Por mais que diversos álbuns que chegaram esse ano tenham sido produzidos antes do período pandêmico, a emoção e a paixão que os envolviam adquiriram um novo significado quando chegaram ao público sob o intenso ano de 2020.

Afinal, essas bandas — que se mantém na internet mais do que qualquer outro artista graças ao fácil alcance que as redes sociais promovem — utilizaram do mundo paralisado pelo novo COVID-19 como uma chance de reinventar e colocar a criatividade à prova. Mas infelizmente, nem todas tiveram a sorte de conseguir lançar seus álbuns e clipes durante esse ano, já tornando 2021 promissor para a música e para os fãs do gênero. Entretanto, é válido afirmar que outros artistas tiraram a melhor experiência possível de uma pandemia mundial, entregando não só o melhor trabalho, mas também a melhor Era de suas carreiras.

Assim sendo, o ROCKNBOLD preparou um “resumão” do que foi 2020 na chamada “música emo”. Isto é, entre altos e baixos, o público ainda acompanhou de casa as elaboradas lives, pagas ou gratuitas; exposeds de diversos músicos e até bandas que os fãs não tinham notícias há anos aproveitando o período de distanciamento social para ressurgirem e trazer alegria ao público que cumpria quarentena. Mas é claro que por último (mas não menos importante), selecionamos também os 10 melhores álbuns pop punk do ano, que mesmo um ano tão difícil quanto esse não facilitou a escolha entre tantos lançamentos incríveis. Confira:

Flying Solo

Sem dúvidas, 2020 foi um ano em que diversos artistas tiraram para se reinventar por completo, alguns inclusive se jogando de cabeça nas próprias experiências, talento e criatividade, experimentando um projeto solo. Como resultado disso, vale destacar Hayley Williams (Paramore), Ashton Irwin (5 Seconds of Summer), Tilian (Dance Gavin Dance) e Frank Iero (My Chemical Romance) que toparam o desafio de explorar outros gêneros musicais e entregarem lançamentos de qualidade em 2020.

Hayley Williams e o álbum de estreia Petals for Armor (Imagem: Divulgação / Atlantic Records)

Em primeiro lugar tivemos Hayley Williams, que estreou sua carreira solo com o álbum Petals for Armor, lançado em maio. O trabalho conta com quinze faixas e explora com maestria a versatilidade da vocalista do Paramore, uma das pioneiras, e principais representantes das bandas de vocal feminino no pop punk. Nele, Hayley se vê musicalmente mais livre e leve, dando seu toque feminino e pessoal nas músicas, além de entregar muito mais maturidade em cada uma das faixas. Petals for Armor acumulou uma nota universal de 83 pontos no Metacritic, baseado em 22 críticas de especialistas.

Ashton Irwin (Imagem: Reprodução / Instagram)

Por outro lado, Ashton Irwin, entregou-se totalmente ao indie pop melancólico em Superbloom, que é seu álbum de estreia, e foi 100% composto e planejado durante a quarentena. Baterista na 5 Seconds of Summer, Ashton aborda as mais pessoais e sentimentais temáticas em suas letras, viajando pelos cantos da mente e do subconsciente e explicitando todas as facetas da saúde mental, desde depressão a ansiedade e crises de autoestima. A princípio, o músico (e agora cantor e vocalista de sua própria carreira), deixou o futuro em aberto, tanto para escrever outros projetos solo quanto para explorar o que a 5 Seconds of Summer pode trazer.

Em terceiro lugar temos Tilian Pearson, vocalista da banda post-hardcore Dance Gavin Dance, que não chegou a lançar um disco completo — nem precisava, já que sua banda presenteou os fãs esse ano com um dos melhores discos da carreira. No entanto, o artista lançou dois singles em 2020, o feat com Travis Barker e Marigolds+Monsters, Falling out of Rhythm e a indiscutível Dose. O cantor e compositor utiliza de seu projeto solo para incorporar elementos eletropop em exuberantes e melódicas canções sob o nome artístico Tilian. Contudo, já fazem dois anos que o cantor lançou seu último álbum solo, o que pode fazer os fãs esperarem por alguma surpresa em 2021.

Por fim, embora 2020 não tenha ajudado os fãs de My Chemical Romance em nada, Frank Iero continua produzindo novos sons com seu projeto Frank Iero and the Future Violents. Depois que lançou seu disco de estreia Barriers no início do ano passado, o guitarrista e vocalista presenteou os fãs em 2020 com os singles Losing my Religion e Sewerwolf, lançados com duas semanas de diferença entre um e outro. Ainda não há tantas informações, mas ao que tudo indica, o músico prepara um novo disco para o projeto and the Future Violents, que pode chegar ao público em 2021.

Nem tudo são boas notícias

Aliás, no meio do ano, estava rolando um exposed por toda internet e o público emo acordou diariamente com o receio de ter seu integrante favorito caindo em um. Com efeito disso, diversos músicos de determinadas bandas acabaram tendo as máscaras arrancadas, protagonizando as mais terríveis histórias, indo de assédio a abuso sexual. Por isso, e diversas outras coisas, acabou que não foi um ano fácil para os fãs de pop punk. Embora alguns tenham tomado medidas após as revelações, o período foi bastante obscuro para o público que acompanhava fielmente.

Certamente o maior destaque vai para a banda ISSUES, cujo vocalista Tyler Carter foi afastado do grupo após um escândalo que envolvia diversas acusações de assédio sexual. Mas a banda canadense Simple Plan também encarou situação semelhante, após diversas denúncias revelarem que o baixista David Desrosiers abusava sexualmente de fãs. O grupo anunciou a saída do músico no mesmo dia, e meses depois revelou que em parceria com a Simple Plan Foundation, estaria apoiando entidades que lutam pelo fim do abuso sexual. Com isso, além de ajudar as vítimas, eles listaram diversas medidas que irão implantar para que os shows da banda sejam mais seguros para fãs mulheres.

Para matar saudades

A fim de pegar a onda nostálgica iniciada com o retorno de My Chemical Romance no ano passado, outras bandas aproveitaram o período de quarentena para dar um breve alô aos fãs. Sem dúvidas muito desses “comebacks” trouxeram uma alegria imensa para os fãs, em um ano tão caótico como 2020.

Inesperadamente, uma banda que trouxe surpresa foi o duo 3OH!3, um dos principais representantes do neon pop punk norte-americano. Nathaniel e Sean fizeram um icônico retorno nas redes sociais e lançaram o primeiro single depois de quatro anos sem atividades inéditas, Lonely Machines em parceria com o 100 gecs seguido pela natalina Kissletoe.

Nesse sentido, temos também os franceses Chunk! No, Captain Chunk! que não lançavam nada desde 2015. Porém, o vocalista Bertrand Poncet surpreendeu os fãs com o feat Unbreakable com dois artistas da cena EDM francesa, DVRK and Helzak. Embora não seja algo em que o público da banda esteja acostumado a ouvir, há informações nos bastidores de que o quarto álbum de estúdio do grupo seja lançado em meados do ano que vem.

Além disso, outro nome marcante do pop punk dos anos 2000 também apareceu no mês de dezembro, com a natalina Last December. Agora Good Charlotte deu de presente aos fãs não só um single de final de ano, mas também expectativas de que um álbum sucessor ao Generation Rx, de 2018, apareça em algum momento de 2021.

Por fim, vale lembrar que além dessas bandas, outros nomes como a já citada My Chemical Romance, a norte-americana The Used e também Boys Like Girls estavam prestes a cair na estrada esse ano e dar aos fãs uma oportunidade de reviver os maiores sucessos desses grupos ao vivo. No entanto, por conta da pandemia, todo o cronograma de shows foi paralisado até a disponibilização de uma vacina. A boa notícia é que nenhuma reunião foi cancelada até agora.

Os melhores álbuns pop punk de 2020

BROADSIDE – THE RAGING SEA

Apesar de não serem extremamente famosos na cena, a banda Broadside mostrou em 2020 que eles tem um grande potencial para se alçarem a este patamar. Em Into The Raging Sea, Broadside rejuvenesce o pop punk, mostrando que é possível sim, ser criativo e original neste estilo sem perder a fórmula de sucesso do gênero.

Broadside foi um dos maiores destaque do pop punk em 2020 (Imagem: Divulgação / SHARPTONE)

Neste novo trabalho, e nova formação, Broadside transporta toda a essência e qualidade dos seus álbuns anteriores, somando um pouco do rock alternativo, e da música emo raiz, ao pop punk padrão da banda. Como resultado temos a criação de uma sinergia excelente de toda obra, onde você ouve do início ao fim, e sente que não há uma única música que não pertença àquele lugar. Sem dúvida Into The Raging Sea é um disco que carrega muito sentimentalismo e redenção, proporcionando um casamento sonoro e letrista perfeito do início ao fim, sem nenhuma quebra de expectativa.

Definitivamente, se você ainda não conhece a banda, este trabalho é um excelente cartão de visitas para você ser arrebatado ao “Broadsidezismo”. Mas claro, se você já conhece, e curte os caras, sabe com certeza que este será por muito tempo, um trabalho inesquecível da banda.

Para fãs de: Between You & Me, In Her Own Words e Real Friends.
Músicas que destacam: Dancing On The Ceiling, Overdramatic e Foolish Believer.

MOVEMENTS – NO GOOD LEFT TO GIVE

Por outro lado, a banda Movements já possui uma posição alta relevância no segmento emo, ainda que anteriormente tenha somente um álbum lançado na carreira. Mesmo com esse 2020 sendo caótico, eles ainda lançaram o No Good Left To Give, segundo álbum de estúdio da banda. Após 3 anos do seu último lançamento, este é um trabalho que revela a enorme maturidade musical e emocional que o quarteto atingiu.

Sendo proposital ou não, a banda traz nas músicas de No Good Left To Give diversas sensações de terapia emocional nas letras, e uma imersão sonora que navega entre cautela e inquietação nos instrumentais, que curiosamente, é muito semelhante aos sentimentos que grande parte da pessoas passaram neste ano de 2020. Sem dúvida este é um álbum que te faz encontrar força naqueles momentos em que a fraqueza retumba na sua mente, tentando a todo momento se sobressair.

Para fãs de: Balance and Composure, La Dispute e Citizen.
Músicas que destacam: Skin to Skin, Don’t’ Give Up Your Ghost e Seneca.

STAND ATLANTIC – PINK ELEPHANT

Com toda certeza vocês devem se preparar para ver o nome “Stand Atlantic” ganhando muito destaque na cena. A banda liderada pela carismática e talentosíssima Bonnie Fraser, lançou neste ano de 2020 o seu segundo álbum, intitulado Pink Elephant.

Primeiramente, um destaque bastante interessante deste disco, é o conceito pouco destacado, mas que está presente em todo álbum. Em Pink Elephant, a banda trabalhou em cima da expressão do “elefante na sala” para produzir diversas músicas. Em outras palavras, essa metáfora é utilizada quando temos questões fáceis e extremamente óbvias de resolver em nossa vida. Porém, mesmo com esses problemas escancarados em nossa cara, martelando nossa cabeça constantemente, ainda assim damos preferência por entrar em estado de negação, evitando enfrentá-los.

A banda australiana de pop punk Stand Atlantic (Imagem: Divulgação / Hopeless Records)

Neste novo lançamento de 2020, Stand Atlantic trata destes problemas de modo animado e esperançoso, trazendo uma sonoridade bastante nervosa, viva e muito acelerada. Como resultado de tudo isso, o álbum traz uma maravilhosa mistura do convencional pop punk com a junção de elementos eletrônicos na medida certa.

Para fãs de: Paramore, Bring Me The Horizon e Boston Manor.
Músicas que destacam: Blurry, Wavelength e Hate Me (Sometimes).

BOSTON MANOR – GLUE

De fato este é um disco que representa muito bem o sentimento de diversas pessoas atualmente, que é a sensação de um futuro incerto e nebuloso. Para este novo álbum, Boston Manor apostou em uma sonoridade totalmente sombria, catastrófica e agressiva, sem medo de pensar em como isto vai ressoar. É provável que ao ouvir Glue, e analisar as letras, você vai ter a impressão de que foi feito durante a pandemia, mas não. Pelo contrário, a banda externaliza através da canções, como  atualmente somos bombardeados por um mundo de negatividade, desespero, raiva e intolerância.

Dessa forma, ao canalizar toda sua frustração deste ano caótico em seu ofício, Boston Manor não apenas fez de Glue o seu melhor trabalho da carreira até agora, mas surge também como uma voz representativa a todo o descontentamento moderno, em um momento que é extremamente essencial, e necessário, externalizar as emoções.

Para fãs de: State Champs, Trophy Eyes e With Confidence.
Músicas que destacam: Brand New Kids, Everything is Ordinary e Liquid.

SILVERSTEIN – A BEAUTIFUL PLACE DO DROWN

Com certeza não poderíamos deixar de fazer uma menção honrosa ao belíssimo trabalho de A Beautiful Place To Drown, do Silverstein, lançado em março de 2020. Sem dúvida a banda que já carrega 17 anos de carreira, é não só uma das maiores referências, como também um dos precursores do gênero post-hardcore. Neste novo trabalho, a banda mostra que não arrancou suas raízes de instrumental pesado, e ainda se modernizou musicalmente, trazendo sons mais melódicos e dançantes. 

Silverstein (Imagem: Divulgação / UNFD)

Certamente o ponto forte de A Beautiful Place to Drown está na novidade de ter sido produzido com diversas parcerias, algo que nunca foi muito explorado nos trabalhos anteriores da banda. Este é um álbum que conta com participações de peso do emo/rock como: Simple Plan, Caleb Shomo, Aaron Gillespie e algumas outras. Em resumo, A Beautiful Place to Drown é simples, caprichado, e só consolida o Silverstein como uma banda atemporal, rejuvenescedora, e uma força potente da cena.

Para fãs de: Emarosa, Alexisonfire e A Day To Remember.
Músicas que destacam: Take What You Give, Burn It Down e Infinite.

BOYS OF FALL – DISTANCE

Atualmente, para se ter uma banda de pop punk é necessário muita determinação. Porém, esta é uma característica que poucas bandas conseguem, muito se deve a dificuldade de chamar atenção de um público que ainda é muito preso aos sucessos da década de 2000 e dedicam pouca atenção aos nomes surgindo agora. Por conta disso, Boys of Fall acabou dando uma pausa em 2016, após o lançamento do álbum Thank You & Goodbye (cujo nome pode até soar irônico). Após os poucos (mas dedicados) fãs pedirem por um comeback, a banda voltou em 2018 em uma nova gravadora; trabalhando com os mesmos produtores do A Day To Remember e The Ghost Inside, o grupo lançou Better Moments, mas foi só em 2020 que os americanos dividiram com o mundo o seu melhor trabalho: o álbum Distance.

Antecipado pela incrível Worth It, Boys Of Fall entregam cativantes ritmos e melodias entrelaçadas a vocais tão afinados e evidentes que quase formam um manifesto. Distance é a boa surpresa para o fã de pop punk em 2020 que ainda está agarrado demais à memória afetiva da última década, já que o álbum consegue agradar tanto aos fãs atualizados do gênero quanto arremessar o público às lembranças de adolescência.

Para fãs de: Seaway, Point North, ROAM.
Músicas que destacam: Worth It, Distance, Heavy Hearts.

BEARINGS – HELLO, IT’S YOU

Uma das revelações da Pure Noise Records, Bearings, lançou recentemente seu segundo álbum de estúdio Hello, It’s You, que mostra que os canadenses já impactam o público pela arte visual da capa desde o disco de estreia Blue in the Dark. Mas não para por aí, o grupo mostrou que o antecessor pode captar uma boa base de fãs, mas é o recém-lançamento que fideliza o público por si só.

Bearings (Imagem: Divulgação / Pure Noise Records)

Hello, It’s You acena para o neon pop punk ao mesmo tempo que aperta as mãos do pop punk underground, juntando-se a grande nomes da cena como State Champs, Knuckle Puck e Real Friends. Em síntese, este é um álbum elétrico, alegre e nostálgico; que dá ao público aquele ar de amor de verão e à inocência jovem que marcou o gênero por anos; consagrando Bearings como uma das melhores bandas da nova década.

Para fãs de: Waterparks, With Confidence, WSTR.
Músicas que destacam: So Damn Wrong, I Feel it All, Super Deluxe.

POINT NORTH – BRAND NEW VISION

De fato, não seria precipitado dizer que Point North lançou o melhor álbum de 2020. A banda promete aos fãs um segundo álbum de estúdio desde 2018 com o lançamento de A Light in the Dark Place, e esse ano, os californianos mostraram ao público que os dois anos de espera valeram a pena com Brand New Vision, cuja nova proposta não resume-se somente à uma arte de capa mais colorida e tecnológica.

Transbordando instrumentais sonhadores e lirismos emocionalmente aguçados, a banda atrai a mais que merecida atenção do público para si em onze faixas que entregam participações especiais de primeira categoria, como a de Kellin Quinn em Into The Dark e DE’WAYNE na canção que dá nome à obra, Brand New Vision. O novo álbum consolidou Point North como uma das bandas indispensáveis de se acompanhar atualmente.

Para fãs de: State Champs, Trash Boat, Makeout
Músicas que destacam: Into the Dark, A Million Pieces, Heartbeat

ALL TIME LOW – WAKE UP, SUNSHINE

Após um período de dúvidas, os fãs do All Time Low finalmente voltaram a ouvir a banda que sempre conheceram. Em Last Young Renegade, o grupo ainda experimentava novos gêneros, prolongando o passo dado em algumas músicas do Future Hearts, que iniciou uma nova era não só musicalmente como artística, visto que o logo e todo o conceito visual mantido até o Don’t Panic havia mudado.

All Time Low e a Era Wake Up, Sunshine (Imagem: Divulgação / Fueled by Ramen)

Em resumo, no Wake Up,Sunshine, o All Time Low segura a mão de seus primeiros álbuns, mas sobretudo o grande responsável pelo sucesso da banda: Nothing Personal, ao mesmo tempo que abre espaço e alternativas para um futuro promissor. Mesmo oferecendo parcerias com uma proposta diferente, como Monsters com o rapper Blackbear e Favorite Place com The Band CAMINO, a banda consegue agradar tanto os fãs que o acompanham desde o Put Up or Shut Up ou So Wrong, It’s Right quanto quem os acabou de conhecer, com o Last Young Renegade.

Para fãs de: We The Kings, Go Radio, Yellowcard
Músicas que destacam: Sleeping In, Pretty Venom, Trouble Is…

YOURS TRULY – SELF CARE

Certamente posicionada como um grande nome do vocal feminino no pop punk atual, Yours Truly deu sequência ao sucesso do primeiro EP da banda Too Late for Apologies, lançado em 2017 com o álbum Self Care, que traz uma repaginada interessante da banda em um novo conceito visual minimalista, elegante e belo traduzido na arte da capa.

A banda entregou em seu álbum de estreia uma superação de qualquer expectativa que pudesse ter sido criada antes de seu lançamento. Além de trazer um disco musicalmente alegre, Self Care também comove liricamente em diversas faixas, oferecendo composições inspiradoras que transbordam talento tanto nas letras quanto nos vocais e melodias.

Para fãs de: Tonight Alive, We are The In Crowd, Grayscale
Músicas que destacam: Funeral Home, Siamese Souls, Together

Pra ficar de olho

Seja como for, 2020 foi um ano e tanto para o pop punk. Mas as bandas do gênero ainda reservam muito mais para o ano que vem. Sem dúvida, tudo ainda é bem incerto, mas não custa nada ficarmos de olho e acompanhar os próximos passos de alguns nomes da cena para conferir os próximos lançamentos.

SHADED

Com certeza o trio britânico SHADED usa de sua carreira e experiência como produtores musicais para entregar uma proposta inovadora, cujas músicas trazem referências não só ao pop punk mas também ao eletropop e ao funk americano. Após o sucesso dos EPs _001 e temporary fix, a banda aproveitou o período de quarentena para mergulhar no processo criativo e anunciar o projeto “A Year Of You”, que contará com 20 lançamentos inéditos nos próximos 12 meses.

Waterparks, banda americana de pop punk (Imagem: Reprodução / Instagram)

WATERPARKS

Um dos maiores nomes do pop punk também estará de volta após o sucesso de FANDOM. Logo após o anúncio de retorno feito pela banda por meio das redes sociais, o grupo formado por Awsten, Geoff e Otto está informou que está em estúdio gravando. Além disso, a banda também lançou o single Lowkey as Hell com uma proposta totalmente diferente do que já foi visto e ouvido pelo grupo, o que indica que o futuro do Waterparks pode ser muito promissor.

ANGELS & AIRWAVES

Mesmo sem lançar um álbum, Angels & Airwaves fez muito barulho nos últimos dois anos. Isto se deve aos singles Rebel Girl, Kiss & Tell, All That’s Left to Love e o lançamento desse ano Paper Thins, uma parceria com ILLENIUM. Inclusive, pouco antes do período de pandemia entrar em vigor, Tom DeLonge não só revelou que a banda estava em estúdio gravando novas músicas, como também informou que um novo álbum estaria a caminho.

Blink-182 (Imagem: Reprodução / Instagram)

BLINK-182

Uma vez que falamos de Tom DeLonge, é impossível não associá-lo a sua sua ex-banda, blink-182. A propósito, a banda também deve ter surpresas agradáveis para oferecer aos fãs muito em breve. O grupo lançou o single Quarantine no início de agosto, pegando o público totalmente de surpresa, cujo título é praticamente autoexplicativo em um ano como esses. Ainda em agosto, o baterista Travis Barker revelou em entrevista à Alternative Press que a banda estava planejando lançar um EP que desse sequência ao single. Porém, como isso não aconteceu, pode ser que o blink-182 esteja gravando mais faixas para que a produção desse EP se complete, de fato, em um álbum. É provável que surpresas estejam por vir, então vamos esperar.

A DAY TO REMEMBER

Sem dúvidas, uma das maiores frustrações do público brasileiro esse ano foi o cancelamento da Lolla Parties do A Day to Remember. Mas nem tudo são más notícias: um fluxo constante de singles com Degenerates, Resentment e Mindreader indicam um novo álbum a caminho da banda, o primeiro em quase cinco anos de espera. Por fim, vale lembrar que o lançamento estava marcado originalmente para o fim de 2019, mas conforme anunciado, You’re Welcome chegará às plataformas digitais em março de 2021, tornando-se já um dos discos mais esperados do ano que vem.

Outras bandas para acompanhar: 3OH!3, Chunk! No, Capitain Chunk!, Circa Survive, Beartooth, Every Time I Die, Frank Iero And The Future Violents, Ice Nine Kills, Job For A Cowboy, The Maine, Meet Me @ The Altar, Miss May I, NOFX, nothing,nowhere, Panic! At the Disco, Paramore, Senses Fail, Tigers Jaw, You Me At Six, twenty one pilots e mais.

Texto por: Beatriz Vaccari e Leonardo Neto