O crescimento emocional de Billie Eilish em 2021

Em 2021 conseguimos acompanhar todo o processo de amadurecimento da artista e desfrutar de sua vulnerabilidade ao escutar o seu segundo álbum de estúdio, Happier than Ever. 
317261-A7-002 001

Ao longo do ano acompanhamos uma trajetória de sucesso da artista Billie Eilish. Hoje, com apenas 20 anos, Billie já conta com dois álbuns, diversas turnês internacionais e uma grande rede de fãs ao redor do mundo. Confira no especial que o ROCKNBOLD produziu todo o crescimento artístico que a cantora alcançou em 2021. 

Logo no início do ano, em fevereiro, a artista lançou o documentário “The World Is a Little Blurry” que funcionou como uma espécie de “esquenta” para a sua nova era. No longa, foi documentado todos os bastidores da fase do primeiro álbum da cantora. Em meio a turnês, acompanhamos a vida pessoal da cantora com todos os altos e baixos de relacionamentos, processos de composição com seu irmão FINNEAS e eventos de imprensa. O projeto promoveu um ótimo fechamento de ciclo, deixando os fãs com as expectativas altas para o novo trabalho que se apresentaria ainda no mesmo ano. 

A primeira grande mudança que percebemos foi a estética, Billie mostrou sua nova cor de cabelo em março, sem o verde neon marcante, mas agora com um loiro platinado. Vale ressaltar que antes de mostrar sua transformação, Billie compareceu ao Grammys usando uma peruca do cabelo anterior e ainda levou para casa duas estatuetas, na categoria Gravação do Ano com a faixa “Everything I Wanted” e na categoria Melhor Canção Escrita Para Mídia Visual com a música “No Time To Die”, feita para o filme da franquia 007. 

A divulgação do novo álbum

Um mês depois, a cantora anunciou a data de lançamento do disco com a capa do álbum, compartilhando a nova estética de sua era. E a mudança não foi só o cabelo, em maio a cantora apareceu em capas de revista com o corpo a mostra entregando um ar de uma mulher adulta com muita sexualidade para exibir, algo que antes não havia permitido a mídia divulgar, já que sempre vestia roupas largas e longas, escondendo a silhueta de seu corpo. 

Billie eilish 2021

O recado foi claro: Billie é uma jovem adulta sem medo de mostrar todas as suas facetas. Em junho foi ao ar o Prime Day Show, especial da Amazon no qual acompanhamos uma trajetória audiovisual de algumas canções que depois estariam no álbum, em uma ambientação parisiense, completando a identidade estética escolhida para o lançamento do disco e deixando um gostinho do que estava por vir.

No dia 30 de julho, Happier Than Ever (você pode conferir a review aqui), chegou ao mundo já quebrando recordes, a Apple Music divulgou na semana anterior ao lançamento que o álbum já tinha sido pré-salvo por mais de 1 milhão e 28 mil contas. Na estréia do disco, Billie fez questão de lançar também o videoclipe da faixa título do álbum, no qual ela mesma foi a diretora. Após o documentário do início do ano, percebemos o quanto a cantora valoriza seu lado criativo e participa de todos os processos, já que ela mesma cultiva todo o cenário em sua mente para traduzir seus sentimentos e deseja passar exatamente todas essas nuances através de suas obras. 

Aparições na mídia

A primeira performance ao vivo foi feita em agosto no The Tonight Show com Jimmy Fallon. Nesta apresentação assistimos a canção “Happier than Ever” e conferimos a explosão que Billie promove no palco ao cantar essa letra, como uma espécie de libertação. Um dos comentários dos espectadores do YouTube resume bem a performance: “She went from singing like a butterfly to rockstar” (Ela foi de “cantando como uma borboleta”, para uma “estrela do rock”). 

Em setembro pudemos assistir o álbum ao vivo na íntegra no especial do Disney Plus ‘Happier than Ever: A Love Letter to LA‘, você pode conferir a resenha aqui. Anunciado antes mesmo do lançamento do álbum, a experiência foi esplêndida, deixando todos os fãs com uma vontade urgente de comparecer ao show da cantora. Claro que a turnê já tinha sido anunciada, em 2022 Billie fará uma “World Tour”, passando pelos Estados Unidos e Europa apresentando o álbum Happier Than Ever e outros sucessos. 

Ainda no mesmo mês, Billie fez a grande aparição no MET Gala, vestido um Oscar de La Renta, vale pontuar que a parceria com a marca só foi fechada após a mesma concordar em não usar mais peles de animais em sua produção, seguindo o ideal da cantora que é vegana e ativista. E os acontecimentos não param por aí, ainda no segundo semestre Billie lança uma parceria com a Nike, na qual ela produz dois modelos de tênis com a marca, e ainda divulga o lançamento de sua fragrância “EILISH”. 

Diversas performances foram feitas, colaborações com artistas ao vivo, e o álbum continuou em alta ao longo dos meses. E o resultado não poderia ser diferente, em novembro, no anúncio dos indicados ao 64 Grammy, Billie foi nomeada em 7 categorias: Álbum do Ano, Gravação do Ano, Canção do Ano, Melhor Álbum Pop, Melhor Performance Solo Pop, Melhor Vídeo Musical, Melhor Filme Musical. Foi chuva de indicações e as expectativas estão altas sobre os resultados que iremos conferir em março de 2022. 

Para fechar o ano com chave de ouro, em dezembro Billie apresentou um especial no programa norte-americano de comédia muito conhecido, o Saturday Night Live. Sua família inteira participou do especial e Billie ainda fez performances musicais mostrando seu novo visual! 

Sabemos que Billie possui um futuro brilhante ao acompanharmos sua linda trajetória ao longo deste ano. Na minha opinião, a artista se encontra na melhor fase de sua carreira e é uma verdadeira estrela em ascensão. Espero poder acompanhar mais projetos excepcionais da cantora e que ela continue vivendo dias felizes, já que podemos ver claramente o quanto a sua saúde mental impacta na vida profissional. Apenas desejo o melhor dos mundos para Billie Eilish, e continuo na expectativa para ver a cantora em solos brasileiros. Vamos torcer! 

Total
0
Shares
Related Posts
[ANÁLISE] Billie Eilish, a rockstar da geração Z
Leia mais!

Billie Eilish: A rockstar da geração Z

Billie Eilish já era conhecida nas profundezas dos adolescentes amantes de pop alternativo, com suas letras melancólicas e voz harmônica (que, mesmo que não atingindo notas altíssimas ou difíceis, o que muita gente usa como argumento para desmerecer os prêmios vencidos, é capaz de construir camadas excelentes). Mas foi com o álbum de estreia que ela criou essa esfera meteórica ao redor de si.