HOSHI, membro do grupo de k-pop SEVENTEEN, lançou, finalmente, seu primeiro single solo oficial. O lançamento vem depois de um ano agitado para o grupo, com a promoção da turnê interrompida, ‘An Ode To You’, e dos álbuns Heng:garæ e [Semicolon]. 2021 não parece ser muito diferente: o ano presenteou os carats (nome do fandom) logo cedo, com um show online, IN-COMPLETE, e diversas promoções em programas de entretenimento estadunidenses.

Agora, os integrantes parecem estar se preparando para uma nova fase, mais internacional e com mais espaço para demonstrar a individualidade de cada um – com JUN lançando em fevereiro os singles “Crow” e “Silent Boarding Gate” e, agora, com o primeiro solo de HOSHI, “SPIDER“. A faixa, minimalista e sexy, é acompanhada por um videoclipe hipnótico que transforma a experiência em uma verdadeira ocasião e que permite ostentar o talento múltiplo de Kwon Soonyoung (nome de nascimento de HOSHI).

Com uma mistura de synth com R&B, “Spider” relaciona em sua letra o sentimento inebriante de estar preso aos charmes de uma pessoa ao movimento de uma criatura aprisionada a uma teia de aranha. Por vezes a presa, por vezes o predador, HOSHI captura bem a sensação com seus vocais fortes e carismáticos. “Não consigo respirar/ Quando você olha para mim“, o cantor conta, ofegante, para logo em seguida contornar a armação, assertivo e energético “Como uma aranha, eu gosto desse quebra-cabeças/ Finjo odiar, mas eu ainda gosto baby“.

A interpretação do cantor é acentuada pelas melódicas guitarras na ponte e o constante baixo contido. Composição de HOSHI com WOOZI (produtor, cantor e colega de HOSHI no grupo de k-pop), BUMZU e Park Ki Tae, a música é minimalista, mas arrojada. Com backing vocals por WOOZI, batidas abafadas e sons pinçados como gotas de água, o som traduz a ansiedade do relacionamento enquanto, a cada replay, se torna cada vez mais viciante.

O ambiente sensual e inquietante é, mais uma vez, sofisticadamente transposto no videoclipe e na coreografia. Com figurinos diversos e uma maquiagem afiada, HOSHI se apresenta por diferentes espaços transitórios e, a uma primeira vista, simples. Compostos basicamente por diversas estruturas de barra, os cenários são preenchidos pela coreografia de HOSHI e trazidos à vida pelo espetacular movimento de câmera e pelo trabalho de iluminação.

O videoclipe demonstra a criatividade e a complexidade da narrativa da música. As cenas de HOSHI espalhando tinta branca no cenário, criando uma espécie de teia ao seu redor, e a cena em que a impressão digital de seu predador e interesse romântico se expande e nos leva de volta ao cenário com tinta são alguns momentos em que a literalidade do videoclipe funcionam com maestria.

A coreografia, suave e furtiva, também faz um belo trabalho encapsulando os movimentos embriagados de uma presa. Desde os movimentos de dedo que mimicam as patas de uma aranha e o entrelaço de sua armação, aos movimentos de uma criatura que tenta desesperadamente fugir. A dança é tão marcante que vale a pena assistir à versão estúdio da coreografia.

A faixa por si só é hipnotizante e executa bem o trabalho de nos manter empolgados pela continuação de HOSHI como artista solo e como líder da performance team de SEVENTEEN, mas é com o videoclipe que ela apresenta todo seu potencial. Não é a toa que o próprio cantor falou diversas vezes estar empolgado para que seus fãs assistissem ao video.

Desenvolvendo o projeto tanto na parte da composição de letra e da música quanto na coreografia, HOSHI entrega uma faixa cativante que expõe bem sua personalidade e estilo musical. Apesar de não ser bem uma mixtape, como prometido pelos anúncios, ‘Spider’ consegue capturar o espectador a repeti-la diversas vezes – de preferência assistindo ao videoclipe, que tão bem complementa esta faixa.

Quer ficar por dentro das novidades do k-pop? Acompanhe as redes sociais do ROCKNBOLD e siga a nossa playlist!