Fora da curva, Snow libera seu primeiro álbum

Debutando com seu primeiro álbum, o projeto Snow chega explodindo o velocímetro e quebrando as paredes da casa com “Fast’n Heavy Loud’n Slow”.

Debutando com seu primeiro álbum, o projeto Snow, do gaúcho Rodrigo Neves chega explodindo o velocímetro e quebrando as paredes da casa com “Fast’n Heavy Loud’n Slow”

Tirar do papel e executar ideias deixadas de lado pela correria foi, com toda certeza, uma das bençãos que a pandemia/reclusão social trouxe no ano de 2020 (olhando por um lado otimista de tudo de ruim que nos aconteceu nesse ano caótico). E foi nesse pique que o gaúcho Rodrigo Neves, vocalista e guitarrista da banda Tigersharks, deu vida ao projeto Snow, uma ousada empreitada firmada em três pilares: hardcore punk, stoner e o metal.

Com dois singles liberados no final de 2020, que também tiveram a participação de Andrez Machado e Rodrigo Borba auxiliando nas linhas de guitarra e baixo, respectivamente, o projeto ganhou vida total ontem (20), com lançamento pela Red Garage Records, e pra saber mais sobre linha de criação, identidade e planos, trocamos uma ideia com Rodrigo Neves. Saca só!

Rocknbold – Bora começar o papo com você se apresentando pra galera, e também contando como começou o projeto Snow.

Rodrigo – Eu sou o Rodrigo Neves, tenho 25 anos e atualmente estou morando em Floripa. A SNOW começou ano passado, 2020, mas a ideia surgiu quando eu me mudei de Porto Alegre (RS) e fui morar em São Paulo e por conta disso fiquei sem tocar com a minha banda (Tigersharks). Já em SP comecei a brincar no garageband pra gravar as ideias e tudo mais. Era o jeito de continuar compondo mesmo sem os ensaios, eu enviava pros caras ideias, eles respondiam com outras e assim foi rolando a Tigersharks, mas algumas músicas que eu compunha tinham uma pegada diferente e aí surgiu a ideia de começar o meu projeto solo. Quando chegou 2020 e a pandemia, me vi em casa por muito mais tempo, e a Tigersharks acabou ficando um pouco parada, então retomei essa ideia de lançar a SNOW, falei com o Andrez e ele pirou na ideia e comecei a compor e gravar e o projeto foi se formando.

Rocknbold – A gente nota a influência de 4 subgêneros dentro do som da Snow: punk, hardcore, stoner e o metal propriamente dito. Como foi chegar nesse mix pra gerar o som da Snow?

Rodrigo – Eu sinto que a SNOW é um pouca da mistura de tudo que me influencia e que gosto. Acho que no começo era pra ser um som bem sludge que nem eyehategod, buzzov*en, etc, mas fui compondo mais sons diferentes, mudando um pouco o estilo dos vocais, adicionando outros elementos e referencias. Desde moleque eu sempre ouvi muito desses 4 subgêneros e foi uma fusão meio natural pra fazer o som da SNOW.

Rocknbold – As letras também são um A+ dentro do pacote da Snow. Como você leva essa parte da escrita? Quais são suas influências?

Rodrigo – Assim como na parte musical, acho que tudo que eu consumo me influencia na hora de compor letras. Tento não me prender muito, então quadrinhos, textos, filmes, piadas, ficção, política, tudo me ajuda a compor. As vezes escrevo algo inspirado em um personagem X de um filme que assisti ou então faço uma letra que é uma auto crítica cheia de humor ácido. Não tem regra, em algumas músicas eu crio uma super história elaborada, assim como outras são frases curtas repetidas 15 vezes, acho que o importante é a letra fazer sentido com a música e ser divertida.

Rocknbold – Outra parte interessante de se observar é a identidade visual proposta no álbum. Como foi chegar nesse conceito?

Rodrigo – Eu sou diretor de arte e ilustrador além de ser músico, então a parte visual sempre foi um componente muito importante na criação da SNOW. Eu diria que desde a concepção do projeto eu já estava fazendo rascunhos de ideias, artes pra camisetas, discos, musicas, etc. Sempre fui fascinado por bandas que tem um visual muito bem definido, as quatro barras do Black Flag, o logo do Dead Kennedys, os bonés do Suicidal, as cruzes do Sabbath, as artes da Electric Wizard, são coisas que me marcaram tanto quanto o som das bandas. Acho que por isso, tento sempre ter muito apresso pela parte visual do projeto.

Imagem: Capa do álbum ‘Fast’n Heavy Loud’n Slow’ / Divulgação

Rocknbold – “Fast N´Heavy Loud N´Slow” foi precedido por dois singles, o de mesmo nome do álbum, e o outro intitulado “Escape From Brazil”. Como foi a recepção da galera com o projeto?

Rodrigo – A recepção tem sido muito foda! A gente tá até surpreso positivamente com o resultado que estamos tendo das músicas, a galera tá gostando bastante. Eu vejo que o pessoal tá comprando a ideia dessa fusão entre gêneros tão distantes e próximos ao mesmo tempo, o que é muito legal pra nós. Estamos super felizes e animados pro lançamento do disco!

Rocknbold – Pra gente fechar, qual a expectativa para colocar esse trampo na pista quando as coisas “normalizarem”? Quais os planos para 2021?

Rodrigo – A ideia é lançar esse disco e aproveitar o lançamento da melhor forma, queremos lançar também alguns clipes esse ano e, se tudo der certo, fazer um lançamento físico do disco. Além disso, já estamos compondo mais músicas pros próximos lançamentos, vai ser um ano bem movimentado pra SNOW. E se rolar a vacina e a situação voltar ao “normal”, com certeza, vamos montar a banda pra sair tocando e meter o pé na estrada o quanto antes!

Ficou curioso com o som da Snow? Cola nas redes sociais e nas plataformas sacaram o som e a proposta que a garantia de sucesso é mais do que uma certeza!

Total
8
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts